Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009

A realidade que diminui o sonho

 

Apercebi-me que me tornei um pouco céptica. Dou por mim a não conseguir encontrar um grande sonho que gostaria de concretizar. Um daqueles sonhos que por vezes não passam disso mesmo. Algo que gostaríamos muito de conseguir mas é complicado, embora não seja impossível.

 

Em vez disso, os meu sonhos baseiam-se naqueles que sei que conseguirei alcançar a médio prazo. Aqueles em que olhando para o que tenho hoje poderei realmente pôr em prática.

 

Nem sempre fui assim, mas acho que ao longo do tempo fui me tornando mais realista do que sonhadora.

 

Bom por um lado...mau por outro.

Estou...: pensativa
Música: Adele - Make you feel my love
Publicado por ascertezasdasincertezas às 01:02
link do post | Comentar | Ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 20 de Janeiro de 2009

O meu mundo

 

Nunca fui esquisita. Já me disseram inclusivé que sou normal em tudo. Sou bastante receptiva às possibilidades. Peixe ou carne? Não me importo que seja um outro, embora tenha a minha preferência, à semelhança de qualquer indíviduo. Amarelo ou vermelho? Vermelho...mas se só o amarelo for possível não me importo. Isto são apenas pequenos exemplos no qual se baseiam quando me caracterizam de "normal", e confirmo que seja verdade.

 

No entanto...há algo no qual me considero esquisita...

 

Na definição da minha vida. Raramente estou mesmo bem. Há sempre algo que gostaria de melhorar ou acrescentar à minha vida. Sinto-me a desfalecer quando não tenho acção, novidades. Preciso de experiências, de aprendizagem, de interesse por algo novo que me possa fazer crescer mais um pouco.

 

Apesar de minha tenra idade, orgulho-me do que já tive oportunidade de fazer na, e da, minha vida. Por vezes, gosto de parar e pensar que já fiz aquilo e aquilo e que ainda tenho mais um leque de diversas coisas que desejo fazer. Sou feliz com o que fiz e com o que tenho. Já dancei, cantei, toquei. Já pertenci aquele grupo e a este e a muitos outros. Já tive a oportunidade de conhecer pessoas diferentes mas que me completam, cada um à sua maneira. Já senti que consegui alcançar algo que anseava obter e a recompensa pessoal foi imensa.

 

No entanto, dia após dia há sempre algo que me deixa insatisfeita. Preciso sempre de esperar mais da vida, de a explorar continuamente embora possua o inconveniente de ser um pouco reservada nas minhas ideias. Sim, sou esquesita na maneira como encaro a vida, pois apesar desta vontade de descoberta também tenho uma visão muito vincada e por vezes é me complicado debater-me com as minhas próprias ideologias, principalmente quando se demonstram impraticáveis na realidade.

 

Estou...: bem ao pensar no que virá...
Música: Silence 4 - Angel Song
Publicado por ascertezasdasincertezas às 23:34
link do post | Comentar | Ver comentários (3) | favorito
|
Quinta-feira, 30 de Outubro de 2008

Encruzilhadas

 

Chego a um ponto de saturação em que se pudesse fugia. Fugia de tudo até encontrar um sitio onde pudesse respirar e conseguir entender quais os actos errados. Não estou bem. Demasiada ambição? Crença ilusória em relação às pessoas?

 

Tudo me escapa por entre os dedos. Aquilo que julguei realizar-me, as pessoas que julguem serem permanentes pilares na minha vida. Tudo se esvai. Nada fica o tempo suficiente para eu o contemplar e dizer que sou feliz.


Como é possivel ter situações passadas mal resolvidas quando sou a primeira a debater-me com a defesa do esclarecimento de desentendimentos? Como é possível não ter direito a sentir sem que tenha de passar por provas, por vezes incontornaveis? Como é possivel serem mais as vezes que vejo o fracasso naquilo que quero?

 

Não entendo o porquê da força de vontade nem sempre valer de nada. Não consigo lidar com a incapacidade do "querer". Sinto saudade de quando limitava-me a viver sem ter que me debater com a minha constante dispersão de pensamentos.

 

Não adianta dizer que não vou voltar a tentar o que quer que seja na minha vida. Não servirá afirmar que não me envolverei emocionalmente com mais ninguém. Não fará sentido ser convicta aquando de um não voltar a confiar em algo ou alguém.

 

Não.

 

Conheço-me.

 

Continuarei, vezes sem conta, a confiar, a tentar, a gostar, a viver, a voar mais alto do que deveria e provavelmente a cair mais uma vez.

Estou...:
Música: Adele - Hometown Glory
Publicado por ascertezasdasincertezas às 00:12
link do post | Comentar | Ver comentários (10) | favorito
|
Segunda-feira, 20 de Outubro de 2008

My fears

 

I can't stop shaking

 

Morro de medo. Medo de gostar demais.

Sou incapaz de permanecer estável sem pensar que poderei passar pelo mesmo...a mesma dedicação, a mesma ilusão, o mesmo final.

Hoje foi me dito para não me deixar afectar pelo passado, não permitindo que este interfira no presente. Tento mas sem o conseguir fazer plenamente. Há feridas passadas que doem com as acções presentes. Lembranças do que é gostar e viver de acordo com esse sentimento para tudo não passar de excesso de sentir contrastante com qualquer outro encarar de relação.

Já não sei se sou eu que dou uma importância desajustada ao sentir. Desconheço se será possível haver sentimento mútuo sem um dos sentimentos se sobrepor ao outro. Deixo de compreender o meu próprio entendimento de circunstâncias, que cada vez mais se apresentam desajustadas e pouco frutíferas.

 

Estou...: parva
Música: Natasha Bedingfield - Soulmate
Publicado por ascertezasdasincertezas às 02:10
link do post | Comentar | Ver comentários (4) | favorito
|

E eu sou assim...


ver perfil

seguir perfil

. 144 seguidores

pesquisar

Agosto 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Inconstâncias recentes

A realidade que diminui o...

O meu mundo

Encruzilhadas

My fears

Inconstâncias armazenadas

tags

todas as tags

eXTReMe Tracker
blogs SAPO

subscrever feeds